O uso das TICs na gestão pedagógica do processo de ensino e aprendizagem


O objetivo deste texto é apresentar e discutir alguns problemas práticos de gestão pedagógica que afetam diretamente o aluno, o professor e a coordenação das escolas sob a ótica da inserção das TICs na dinâmica e no cotidiano da escola e do trabalho do professor.

Os “estudos de caso” e exemplos apresentados aqui foram implementados e testados por mim ao longo dos útimos 4 anos na escola onde atuo como professor efetivo de física. Alguns exemplos dizem respeito à minha prática cotidiana como professor e outros à coordenação pedagógica da escola (com a qual contribuo com sugestões e algum trabalho de bastidor).

A sala de aula – aspectos práticos da gestão pedagógica e o uso de TICs

Por trás da figura do professor não reside apenas um “explicador de conteúdos”, ou mesmo de um “facilitador da aprendizagem”, mas também a de um gestor. Ao professor não cabe apenas ensinar, ou facilitar a aprendizagem, mas também:

  • avaliar o processo de ensino e aprendizagem por meio de ferramentas diversas que incluam uma série de observações diretas do aluno, provas e testes, trabalhos e tarefas, além da frequência do aluno e de aspectos sócio-educativos não mensuráveis quantitativamente, mas passíveis de avaliação diferencial;
  • registrar todas essas avaliações, informações e suas observações sobre os alunos e sobre o processo de ensino e aprendizagem, bem como relatar os tópicos do currículo que estão sendo abordados, as estratégias e as atividades que estão sendo desenvolvidas com os alunos;
  • analisar os resultados obtidos por diferentes formas de avaliação e coleta de dados e, à partir deles, tomar decisões de caráter pedagógico, de forma a replanejar suas estratégias de ensinança com base em critérios objetivos efetivamente observados e registrados;
  • dar transparência, divulgar e discutir os resultados obtidos pelos alunos com os próprios, com a coordenação pedagógica da escola e com os responsáveis pelos alunos.

Burocracia?Em termos práticos isso implica em um trabalho extenso de gerenciamento de dados e que é efetivamente realizado dentro e fora da sala de aula, mas principalmente fora desta, tomando muitas “horas-extras” que poderiam ser destinadas ao lazer e à aprendizagem continuada do professor. Assim, implementar meios de melhor gerenciar esse aspecto do trabalho do professor significa também prover meios para executar melhor o seu trabalho e lhe garantir uma melhor qualidade de vida, pessoal e profissional.

O que vemos em muitos lugares, no entanto, é uma expressiva quantidade de professores que ainda não utiliza o computador, a internet e outras facilidades tecnológicas em seu cotidiano; nem como ferramentas pedagógicas para ensinar, nem como ferramentas administrativas para gerir o processo de ensino e aprendizagem.

Diário de classeAs práticas arcaicas de gerenciamento do processo de ensino e aprendizagem, que ainda são visíveis na maioria das escolas, remontam à época em que esses mesmos professores eram alunos da escola primária. Assim, o que se vê na maioria das salas de aula ainda é um professor que utiliza apenas uma caderneta e, quando muito, um caderno auxiliar de anotações, quando deveria estar usando um notebook e as ferramentas web 2.0 da internet.

Como consequência desse processo arcaico de gerenciamento, muitos professores evitam registrar as atividades solicitadas aos alunos, e alguns evitam até mesmo propor essas atividades, porque isso lhes demanda muito tempo e muito trabalho. O que muitos chamam de processo de avaliação na verdade não passa de um conjunto de duas provas por bimestre e, quando muito, uma terceira nota de “participação“, atribuída geralmente de forma subjetiva conforme a simpatia que o professor tem pelo aluno. Há até mesmo professores que dizem-se capazes de avaliar seus alunos “olhando para sua alma”, numa referência clara à falta de critérios mensuráveis de avaliação.

O resultado disso é um ensino pobre, porque prescinde de critérios objetivos de análise e, consequentemente, não provê meios de tomada de decisão eficientes. A justificativa para isso é quase sempre a mesma: falta tempo para o professor poder se dedicar melhor aos seus alunos. Mas será que o que falta é tempo, ou falta também uma metodologia mais eficaz de gerenciamento de informações?

Temos hoje em dia tecnologias capazes de gerir enormes quantidades de informação e de facilitar a análise desses dados por meio da computação. O termo computador tem em si mesmo o significado de algo que faz cálculos, que computa dados. Não utilizar um computador como parte natural da atividade de gestão do professor, tendo um à sua disposição, é o mesmo que escrever com caneta de pena e tinteiro tendo à disposição uma caneta esferográfica, ou recorrer a um retratista da renascença para ter uma imagem da família ao invés de tirar uma simples fotografia com uma câmera digital. E, no entanto, ainda temos muitos professores que possuem computadores e não os utilizam. E, nesses casos, a desculpa mais comum é de “não sabem como utilizá-lo”.

Professor conectadoCom uma simples planilha de cálculo pode-se gerenciar a maioria dos dados numéricos e registros de avaliação e tarefas dos alunos. Isso pode ser feito coletando-se esses dados em classe e depois digitando-se os mesmos no seu computador desktop (aquele que fica em casa, em cima de uma mesma e que inclui uma torre e um monitor) ou diretamente em um notebook que pode ser levado para a sala de aula. É óbvio que a segunda alternativa é bem mais inteligente e promissora. Um notebook pode ser comprado hoje por um preço inferior a U$ 700,00 (e pode ser pago em 12 ou mais prestações).

Contando com a colaboração dos próprios colegas professores, ou mesmo dos alunos, o professor pode rapidamente aprender como construir uma planilha de cálculo que não apenas sirva para registrar as informações como também para totalizá-las, gerar gráficos e estatísticas. O investimento de tempo necessário para aprender a fazer isso é imensamente menor do que o tempo total dispendido para trabalhar com esses dados sem o uso de um computador.

Além disso, uma vez feita uma planilha de cálculo para uma sala, ela pode ser reproduzida para as demais sem nenhum custo extra de aprendizagem ou de tempo. Se pensarmos em professores que têm que adminsitrar 10, 15 ou mesmo 20 salas de aula e centenas de alunos, fica claro que um instrumento que permita replicação e reutilização é, sem dúvida, uma ferramenta poderosa de gerenciamento. Essas planilhas podem ser reproduzidas e reutilizadas ao longo do ano letivo e dos próximos anos letivos.

As estatísticas que podem ser geradas nas planilhas de cálculo fornecem informações importantes sobre o conjunto de alunos de uma classe e sinalizam ao professor que problemas ele tem que enfrentar com aquela turma específica. Estatísticas como média, mediana, moda, desvio padrão, distribuição de frequências de notas e outras, permitem compreender melhor o perfil da sala e sua heterogeneidade.

Digitando dadosO registro eletrônico das notas, atividades e tarefas também permite ao professor recuperar essas informações de forma rápida e organizada, substituindo com grande vantagem as anotações em papel. A possibilidade de transportar essas informações em um simples pendrive, ou de torná-las acessíveis de qualquer lugar por meio da internet, faz com que a informação adquira características que não se tem com os registros em papel: a mobilidade e a acessibilidade. Além disso, embora esses registros e cálculos possam ser feitos em papel, na caderneta do professor, esta fica retida na escola, impedindo que a informação tenha mobilidade e acessibilidade.

Por fim, o uso de meios de publicação e divulgação dessas informações, via internet, dá transparência e visibilidade ao trabalho do professor e permite o acesso à essas informações pelos alunos, por seus responsáveis e pela própria coordenação da escola.

Um relato de estudo de caso

Já há alguns anos venho usando as TICs na gestão de minhas classes de forma sistemática e, à partir desse ano, tenho intensificado o uso de ferramentas da web 2.0 como instrumentos naturais de registro e publicação de informações que podem ser compartilhadas por todos. Embora eu tenha disponibilizado essas ferramentas e recursos no meio site, elas poderiam ser igualmente disponibilizadas em um blog.

Os meus alunos, seus responsáveis ou quem mais quiser, podem hoje consultar via internet:

  • Avisos e notícias importantes sobre as atividades cotidianas (atualizado semanalmente);

News alunos

  • Uma agenda escolar com datas de eventos importantes para os alunos (atualizado conforme a necessidade);

Agenda escolar

  • O meu diário de classe com as atividades, conteúdos e observações de cada aula (atualizado semanalmente);

Diário escolar

  • Um controle de frequência com o registro das presenças e faltas dos alunos, e das notas correspondentes a essa frequência (que fazem parte da matriz de avaliação que utilizo). Esse registro é atualizado em tempo real, durante a chamada nominal feita em classe;

Controle de frequência

  • Um controle de atividades que fornece também a nota equivalente ao desempenho do aluno ao longo do bimestre. Essa nota também faz parte da minha matriz de avaliação e é atualizada em tempo real;

Controle de atividades

  • Um controle de avaliações que fornece também a nota final referente às provas e trabalhos (atualizado conforme a ocorrência de alguma avaliação desse tipo);

Controle de avaliações

Além dessas ferramentas os alunos também têm à disposição um plantão de dúvidas online que podem utilizar para me consultar por e-mail, uma biblioteca digital onde encontram materiais didáticos, provas corrigidas e resultados gerais de avaliação (dentre outros materiais) e, finalmente, links para meus blogs (incluindo o blog de física). Você pode ver essas ferramentas em uso acessando o meu site.

Ao final de cada bimestre todas essas informações são totalizadas em uma planilha que simplesmente coleta esses dados diretamente da internet e me fornece um relato completo da situação de cada classe, incluindo o cálculo da média final, estatísticas e gráficos. Além disso, tendo essas informações em mãos, eu posso a qualquer momento gerar outras planilhas com qualquer tipo de análise que julgar importante. Perguntas como “quais  alunos que não estão fazendo tarefas e que estão apresentando rendimento insatisfatório?” ou, “quais alunos tem notas finais entre 5 e 7, mas faltaram em, pelo menos, quatro aulas?”, podem ser respondidas de forma instantânea.

Planilha final

Informações de análise como essas não aparecem na caderneta do professor e nem são cobradas pelas secretarias das escolas, mas são fundamentais para se compreender como o processo de ensino e aprendizagem está transcorrendo.

Todas essas ferramentas demandaram um tempo para serem planejadas e implementadas, mas me poupam uma enorme quantidade de tempo e de trabalho para gerenciar todas as informações que coleto no processo de ensino e aprendizagem. O resultado final disso tudo me permite avaliar melhor o meu trabalho, dá transparência ao que faço e acesso às informações por parte de todos e, além disso, é muito bem visto pelos alunos.

É evidente que não é necessário que nenhum professor tome esse exemplo de estudo de caso como meta imediata a ser obtida, mas é claro também que o que estou relatando nesse exemplo é um resultado efetivo, real e, portanto,  possível. Cada professor pode, ao seu ritmo e conforme suas necessidades, ir implementando essa automatização em seu cotidiano de trabalho. Ao final de alguns anos esse professor terá à sua disposição uma infinidades de ferramentas e técnicas que nunca sonhou em ter antes.

A coordenação pedagógica – aspectos práticos da gestão pedagógica e o uso de TICs

Do lado da coordenação pedagógica e da gestão da escola, as TICs já se encontram inseridas em muitos momentos, mas podem ser ainda bastante exploradas.

As reuniões pedagógicas, onde os professores têm que recorrer às suas velhas cadernetas para obterem informações mais precisas sobre o desempenho de seus alunos, podem ser bem mais dinâmimcas se a coordenação dispuser dessas informações já coletadas, centralizadas e transformadas em informações úteis. A geração de um boletim digital do aluno, que forneça suas notas, sua foto, sua frequência e seu desempenho global é uma ferramenta poderosa nesse momento.

Da mesma forma, todas as ocorrências disciplinares, afastamentos por licença médica e outras observações podem ser armazenadas digitalmente e tornadas acessíveis para essas reuniões. O trabalho para se produzir esse banco de dados não é maior do que o trabalho que já se tem para fazê-lo em papel e, além disso, as possibilidades decorrentes do uso do computador e das TICs ampliam em muito a potencialidade de uso dessas informações por permitirem diferentes agrupamentos de dados e formas de visualização das informações.

Como muitos professores ainda mantém apenas registros em papel, e nem sempre têm suas cadernetas atualizadas, a criação de meios digitais de armazenamento de dados, onde essas informações possam ser compartilhadas, abre perspectivas interessantes para uma gestão mais eficaz do cotidiano da escola. Se imaginarmos que todos os professores possam compartilhar um documento de registro que totaliza as informações sobre os alunos e permite que qualquer um deles e, em especial, a coordenação da escola, tenha acesso a essas informações em tempo real, estaremos então falando de um processo que pode ser avaliado sob demanda, em tempo real e de forma inovadora.

Isso não está distante da realidade das escolas do ponto de vista tecnológico, mas ainda está distante do ponto de vista dos paradigmas de gestão que ainda traçam os rumos das ações da gestão, da coordenação e dos próprios professores com base em uma praxe arcaica. Enxergar essas novas possibilidades e dar a elas a oportunidade de se mostrarem efetivas é parte de um processo de atualização da escola e da própria Educação. Não é mais possível continuar gerindo o processo educacional com base em teorias e práticas administrativas do século passado e esperar obter com isso a eficiência que gostaríamos de ter no século XXI.

Mais um relato de estudo de caso

Esse é o quarto ano em que usamos em minha escola um sistema de centralização de notas e geração de boletins usando as TICs. É um sistema simples que eu mesmo desenvolvi usando planilhas de dados e a internet. Na versão em uso nesse ano os professores acessam a internet para digitarem as notas e faltas dos alunos e essas informações são coletadas automaticamente por planilhas eletrônicas da coordenação.

Um subproduto direto desse processo é o banimento das antigas papeletas de notas que vêm anexadas nas cadernetas dos professores e a possibilidade do professor poder consultar suas próprias notas e ade seus colegas pela internet, a qualquer momento e de qualquer lugar. Além disso, ao longo do bimestre, ele pode alterá-las a qualquer momento e essa alteração é registrada de forma automática no controle da coordenação.

Planilha de digitação de notas on-line

Outro subproduto que utilizamos bastante é a geração de um boletim que pode ser impresso e entregue aos alunos, além de poder ser projetado em um telão durante as reuniões pedagógicas.

Evidentemente muitas outras informações podem ser agregadas a essa planilha de controle da coordenação, de maneira que, de forma rápida e prática, ela possa dispor de uma infinidade de informações de cada aluno, de cada classe ou da escola toda. Isso tudo seria praticamente impossível sem o uso dos computadores e da internet e, no nosso caso específico, também não seria possível se a gestão da escola não tivesse investido na idéia e oferecido suporte para sua implementação.

À gestão da escola e à coordenação pedagógica cabem muito mais a coragem da mudança e das tomadas de decisão do que a resolução direta dos problemas. Para que tudo isso funcione bem na minha escola foi preciso que eu e outros professores contribuíssemos de alguma forma para a implementação das mudanças, mas nada disso seria possível se a própria gestão da escola não acreditasse nessas mudanças.

Da teoria à prática – implementando idéias

Depois de tudo pronto parece tudo fácil, mas por onde podemos começar? Como podemos transformar uma escola de gestão tradicional em uma escola mais moderna e produtiva?

Seguindo mais uma vez as estratégias implementadas em minha própria escola, como exemplo (já que aqui deu certo), seguem-se algumas sugestões para professores e gestores.

Decisões e ações da gestão e da coordenação:

  1. delinear, em conjunto com os professores e com a comunidade, um projeto de uso das TICs em conformidade com o plano político-pedagógico da escola e tendo como parte explicita de seus objetivos a melhoria da qualidade dos processos de ensino e aprendizagem na escola;
  2. disponibilizar o uso da Sala de Informática da escola e, caso a escola não tenha nenhuma, solicitar que o estado ou a prefeitura monte uma na escola. Isso é mais fácil quando a escola tem um projeto de uso e você encontrará nesse blog (e na Internet) inúmeras possibilidades de uso que podem ser incorporadas no projeto da escola;
  3. instalar um sistema de internet sem fio que possibilite ao professor acessar a internet de todas as salas de aula a partir de seus notebooks. Isso é simples, apesar de não parecer, e se não for provido pela prefeitura ou pelo estado pode ser implementado pela própria gestão com um custo muito baixo;
  4. disponibilizar um datashow e notebooks para uso pedagógico e facilitar seu acesso e uso por parte dos professores; o mesmo vale para outros recursos mais simples, como câmeras digitiais, scanners, impressoras, etc.;
  5. disponibilizar horários específicos nas reuniões pedagógicas da escola para formação dos professores para o uso dos recursos que são oferecidos pela escola, para discussão de textos sobre a inserção de TICs na escola e na vida profissional dos professores e, sempre que possível, promover oficinas pedagógicas tratando do uso das TICs;

Decisões e ações dos professores:

  1. investir na aquisição de um notebook próprio, caso ainda não tenha nenhum, que disponha de wireless (possibilidade de acesso à internet sem fio);
  2. dispor-se a aprender colaborativamente com seus pares e seus alunos, ao invés de apenas esperar ações de formação provindas da coordenação, da gestão ou órgãos superiores;
  3. procurar informações na internet e dedicar em média uma hora diária para a aprendizagem auto-didata sobre o uso das TICs;
  4. transferir, aos poucos, os registros feitos em papel para o formato digital, usando documentos de texto e planilhas eletrônicas. Compartilhar com os colegas as suas idéias, planilhas e outros documentos;
  5. estabelecer como meta pessoal a construção de um perfil de professor digital.

Evidentemente todas as soluções encontradas por cada escola devem atender à sua própria realidade, precisam ser implementadas no tempo próprio e dentro das possibilidades reais da escola. Porém, a maior dificuldade para a transição da escola de nossos pais para a escola de nossos filhos ainda é o elemento que se encontra entre essas duas gerações, isto é, nós mesmos!

É vencendo nossas próprias dificuldades e assimilando novos paradigmas que poderemos construir uma escola e um mundo melhor, para todos e para nós mesmos. Considere isso antes de se conformar com a crença de que nada podemos fazer.

Referências de leitura na Internet:

(*) Para citar esse artigo (ABNT, NBR 6023):

ANTONIO, José Carlos. O uso das TICs na gestão pedagógica do processo de ensino e aprendizagem, Professor Digital, SBO, 23 abril 2010. Disponível em: <https://professordigital.wordpress.com/2010/04/23/o-uso-das-tics-na-gestao-pedagogica-do-processo-de-ensino-e-aprendizagem/>. Acesso em: [coloque aqui a data em que você acessou esse artigo, sem o colchetes].

Anúncios

Tags: , , ,

45 Respostas to “O uso das TICs na gestão pedagógica do processo de ensino e aprendizagem”

  1. Rosália Maria Nunes da Silva Says:

    Os recursos digitais disponíveis são fundamentais e necessários atualmente.

    Curtir

  2. Harley Delano Araújo Diniz Says:

    O recurso digital nos disponha todo material necessário incluindo acesso a bibliotecas online e sites oficiais para produção de ferramentas de conhecimento do docente e discente.

    Curtir

  3. ELISANGELA Says:

    EXCELENTE ARTIGO.

    Curtir

  4. Benedito Nelson Rovida Says:

    parabens pelo professor digital, eu como professor de matemática aplaudo esse excelente trabalho de apresentação

    Curtir

  5. Vera Lúcia R. Silva Says:

    Olá, professor, peço licença para usar seu texto,para aprender mais e perfeiçoar os gráficos da escola, ou seja modificar os meus, para melhor utilizá-los, ok?

    Curtir

  6. WEB 2.0 e a Educação: uma difícil tarefa em aliar esses recursos nas salas de aulas | vcsviniciuscouto Says:

    […] do processo de ensino e aprendizagem, Professor Digital, SBO, 23 abril 2010. Disponível em: <https://professordigital.wordpress.com/2010/04/23/o-uso-das-tics-na-gestao-pedagogica-do-processo-de-…&gt;. Acesso em: 18 de dezembro de 2014 as […]

    Curtir

  7. forumevc@gmail.com Says:

    Muito bom este artigo irá me ajudar muito nos meus estudos e trabalhos com os meus alunos e também durante minhas pesquisas. Valeu mesmo

    Curtir

  8. Nouza Maria Sobral Oliveira Says:

    É muito bom vou usar pra enriquecer meu trabalho na Faculdade de Pedagogia na apresentação de um Seminário

    Curtir

  9. MARIA APARECIDA SILVA DE MAGALH?ES CRUZ Says:

    amei este artigo JC…
    Estou finalizando o curso a distancia “Espaecializaçao em Midias “e tenho q fazer um rabalho de como utlizar as midias disponiveis na minha escola (anos iniciais) e como utliza-las , e seu artigo me abriu me ajudou bastante , e peço-lhe permiçao para q eu poça cita-lo em meu tabalho.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Maria Aparecida,

      É claro que pode usá-lo (todos os artigos estão disponibilizados conforme a licença CC 2.5).
      Compartilhe comigo uma cópia do seu trabalho quando o terminar. Eu estou sempre ávido por novas ideias.

      Abraço!

      Curtir

  10. José Sena da Silva Says:

    Muito bom! Parabéns! Estamos implantando um sistema para utilização do moodle incluído no site da escola http://eeeuclydao.com.br e seu texto vai nos auxiliar bastante. Vejo que suas sugestões são mais fáceis da interação professor-estudante-professor, procuraremos adequá-las dentro do possível ou até mesmo aplicá-las. Nosso site está em aprimoramento, mas ficaremos agradecidos se visitá-lo e mandar sugestões.
    Saudações,
    Prof. Sena – Parauapebas – Pará
    EE Gen Euclydes Figueiredo.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Prof. Sena,

      Excelente iniciativa! Parabéns!
      Dei uma olhada rapidíssima (depois quero acompanhar melhor) no site da escola e me pareceu excelente. Parabéns de novo!
      Grande abraço ao povo do Pará!

      Curtir

  11. loisse Diego Says:

    Mui interessante a informação…

    Curtir

  12. Arlene Alves de Oliveira Ramos Says:

    Parabéns pelo seu excelente artigo, foi muito valioso para mim ter lido o seu texto. Sou gestora de uma Escola de Ensino Fundamental e gostaria muito de implantar algumas das sugestões em que você citou em seu artigo. Que maravilha saber que professores como você tem feito a diferença.

    Saudações Educacionais!

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Arlene,

      Obrigado pela visita. Estou preparando outro artigo dando várias outras sugestões para a gestão. Aguarde e acompanhe o blog (é só assinar o RSS – são poucos artigos publicados por ano).

      Abraço.

      Curtir

  13. Queila Evangelho Says:

    Olá JC, ameii o seu blog e preciso muito de sua ajuda.Sou Coor. Pedagógica em uma escola de Salvador bahia e estou realizando uma especialização cujo módulo I fala sobre o uso das tic na aprendizagem. Preciso realizar uma tarefa que fale sobre a experiencia da Coordenação Peagagógica no uso da tic como ferramenta didática no seu trabalho posso contar com sua ajuda?

    Curtir

  14. Raimunda januaria Gomes Says:

    Gostei muito , parabelizo este blog pelo seu desempenho e ricas idéas nesta área. SOU APAIXONADA POR TECNOLOGIAS,E ATUO COMO PROFESSOR DO LEI,QUERO MUITO ME ATUALIZAR NESTA ÁREA,PARA MELHORAR MEU DESEMPENHO COMO ORIENTADOR EDUCACIONAL. UM GRANDE ABRAÇO.

    Curtir

  15. Hélia Motta Says:

    Parabéns!!!! Ser inovador e ousado é genial.
    Só através de pessoas que aceitam desafios mudaremos o rumo da educação.
    Abraço.
    Hélia Motta

    Curtir

  16. Vanks Estevão Says:

    Olá Professor José Carlos,

    Estou conhecendo seu trabalho hoje, e neste é o primeiro de seus textos que leio. Gostei muito e já coloquei seu blog no meu reader. Também visitei seu site e também fiquei admirado com tanta copetência ao ensinar utilizando estas novas ferramentas.

    Sou autor do blog Efeito Joule (www.efeitojoule.com) onde tenho certa de 200 mil visitas/mês. Vou divulgar seu trabalho por lá.

    abraços,

    Curtir

  17. Leila Says:

    Gostaría de uma indicação de livro que mencione sobre as diferenças de informação e conhecimento, cujo objetivo e de educar o educador, pois preciso desenvolver um capitulo do meu TCC que relacione essas diferenças.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Leila,

      Eu não conheço nenhum livro que trate especificamente desse tema (informação X conhecimento) no contexto da formação de professores. Muitos autores tratam do tema (Moran, Levy, etc.) em artigos ou trechos de suas obras. O tema geralmente é discutido no contexto da teoria da informação, globalização e novas tecnologias. Acho que talvez seja produtivo começar por uma busca no Google Scholar com a expressão “educacação “informação x conhecimento”” e selecionar, à partir dos documentos retornados, outras bibliografias sugeridas pelos autores dos textos que você consultar.

      Sinto não poder ajudar mais.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  18. Maria Balbina Neta Says:

    Olá, adorei seu artigo, contribuiu muito para tirar minhas dúvidas. Pretendo fazer meu TCC com a temática: Gestão de mídias: Dimensão administrativa pedagógica e tecnológica. Gostaria de orientações de site que possam me ajudar. Abraços e obrigado.

    Curtir

  19. FRANCISCO DE ASSIS Says:

    as tecnologias são os principais meios para inovar e criar oportunidades de informações e comunicações em um tempo rápido, com causar conflitos ou desconforto, o mundo vírtual é interativo, e só depende de cada professor para usar suas práticas pedagógicas e ter sucesso em sua jornada de trabalho, bem como realizar seus planejamentos e aulas mais motivadas.

    FAFS- um professor estudante-nome do meu blog.

    Curtir

  20. mary Says:

    gostei muito do seu artigo.Estou trabalhando em um tcc e tenho dúvidas qual o melhor tema a seguirentre os quais estão:
    1. Conteúdos Educacionais Digitais;
    2. Experiência de uso educacional de Ferramenta Web 2.0;
    3. Uso pedagógico de mídias na escola: práticas inovadoras;
    4. Bibliotecas digitais para a escola e sua utilização;
    5. Planejamento de formação dos professores para o uso das mídias;
    6. Cultura da Comunidade das escolas: introdução das mídias;
    7. Escola inclusão e tecnologias assistivas;
    8. Gestão das mídias: dimensão pedagógica, administrativa e tecnológica.
    9. Políticas Públicas para o uso de mídias.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Mary,

      É difícil sugerir um tema. Talvez seja melhor eu sugerir um “método” de escolha: escolha o tema sobre o qual você mesma gostaria de saber mais, muito mais! Faça do seu TCC uma oportunidade para você mesma aprender mais sobre algo que queira muito.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  21. Neuza Maria dos Santos Says:

    Amei tudo!
    Por conta disso, gostaria que me orientasse num trabalho que preciso apresentar.
    Preciso saber, como profissional da educação, quais as possibilidades pedagógicas da WEB 2.0?

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Neuza,

      As possibilidades são muitas, mas a dica é uma só: planeja sua aula e suas atividades com base em objetivos de aprendizagem e depois, somente depois, procure por ferramentas na web 2.0 que possam agregar valor. Ou, em outras palavras, é possível usar bastante os recursos da web 2.0, mas é sempre necessário que antes se tenha um planejamento didático-pedagógico. Se precisar de ajuda mais específica, entre em contato diretamente comigo pelo e-mail profjc arroba gmail.com.

      Curtir

  22. Kátia Elias Says:

    Olá!
    Li o seu blog e adorei.o seu artigo. Costumo utilizar o notebook para organizar e planejar minhas aulas que me auxilia muito na preparação de materiais para os alunos e até refazê-los adequando às necessidades reais deles. Infelizmente, como foi falado alguns colegas não o fazem.
    Dificuldades todos têm, mas isto não deve ser visto como um obstáculo pois há e haverá sempre alguém que possa ajudar. Há ainda muita resistência com relação ao uso do computador em sala de aula, principalmente porque muitos acham que ele irá substituir “o professor”. Ele é mais uma ferramenta em nosso auxílio. Parabéns pelo artigo!

    Curtir

  23. rosalina Says:

    ola quero parabenizar pelo trabalho com as TICS, foi muito proveitoso ,faço graduação em sistemas de informação e na materia de psicologia estamos trabalhando nesse contexto se puder me enviar alguma eperiencia em sala de aula ou video eu agradeço.
    Muito obrigada, abraço.

    Curtir

    • profjc Says:

      Ola Rosalina,

      Além de algumas experiências em sala de aula descritas aqui, você pode encontrar várias nos projetos “Coisas Boas” do Educarede e no atual projeto deles chamado “Minha Terra”. Dê uma olhada lá.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  24. Prof. Castro Says:

    Excelente material esse seu sobre as TICs. Parabéns. Eu gostaria, se fosse possível, enviasse-me textos sobre os temas a seguir: Meios técnicos e linguagem televisiva; Avanços tecnológicos da TV; A marca da TV e o “ao vivo”; Efeitos de interatividade; Efeitos de realidade;; A TV e a reconfiguração do tempo e do espaço; Transmissão direta no telejornal; Seriação televisiva. Ficarei grato se me enviares algum material. Abraços e felicidades de antemão.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Prof. Castro,

      Não tenho nenhum artigo meu abordando diretamente o tema “TV”. Sugiro que busque informações no Google. Fico lhe devendo essa.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  25. marisa Corrêa Vieira Says:

    Parabéns! Teus textos incentivam e encorajam qualquer professor a sair do marasmo. Mostra caminhos e opções embora, distantes de nossa realidade, possíveis de pelo menos tentarmos.Vou iniciar googledocs vamos ver no que vai dar.

    Curtir

  26. Mariliette Noronha Timm Pedrochi Says:

    Seus artigos são ótimos!!Gostaria de colocar uma agenda desta no meu blog!!Adorei…abraços JC.

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Mariliette!

      Crie uma agenda no Google a publique como “pública”, então pegue o link dela e cole como página incorporada em alguma página do seu blog. Creio que com um “iframe” isso seja possível, se seu blog permitir. Eu uso o código fornecido pelo Google com a tag iframe.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  27. Elis Says:

    Olá, recebi seu email no grupo “VP” e passei aqui para ler o artigo.

    Peço permissão para indicá-lo como leitura complementar num dos cursos de minha autoria, no qual estou atuando como tutora: “Informática na Escola: Novos Rumos para a Educação”, on line em http://www.cognitivavirtual.com.br. Venho debatendo com educadores os assuntos citados no seu texto.

    Parabéns pela forma clara e objetiva de sua escrita.

    Abraços Fraternos.

    Elis Regina Paim Röesler
    Técnica em Processamento de Dados
    Pedagoga

    MSN atendimentoescolas@hotmail.com
    Skype elisreginapaimroesler
    ORKUT tecnologias & Ensino
    twitter.com/ElisReginaR
    http://www.tecnologiaseensino.blogspot.com

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Elis.

      Os textos desse blog estão sujeitos à licença creative commons 2,5 share alike Brasil (veja o link sobre direitos autorais do lado direito do blog). Você pode divulgá-los citando a fonte (basta colocar o link do blog e citar o autor). Aproveite e peça para os seus alunos deixarem um comentário no meu blog para eu saber também o que eles acharam.

      Abraço,
      JC

      Curtir

  28. Maira Miranda Says:

    É professor parece mentira mas ainda a grande maioria dos professores resiste ao uso das tecnologias e isso não é o pior; se apenas fosse isso não se interessam pelo assunto e desfazem os que procuram se atualizar. Parabéns pelo post assim vamos quebrando paradigmas.

    Abraços

    Curtir

  29. Prof. Adinalzir Says:

    Meus parabéns pelo excelente trabalho, seu texto é um valioso instrumento para a mudança de paradigma no ambiente escolar. Só precisamos, enquanto gestores e professores, ter disposição e muita vontade para mudar.

    Na minha escola, eu já tento fazer a minha parte como um Professor Digital, mas ainda acho o caminho de encontro aos meus colegas, uma tarefa muito difícil.

    Até agora, a melhor iniciativa nesse sentido tem sido da própria Secretaria de Educação do RJ, com o Projeto Conexão Educação, através da utilização de um computador em cada sala, que quando estiver implantado, deverá registrar frequência, notas, controle da merenda, e até o horário dos professores… E que para funcionar plenamente, terá que ser imposto de forma rígida aos professores e gestores. Mas até lá, muita coisa ainda vai rolar. A grande maioria dos “mestres” tem medo do novo e acha que o novo sistema irá monitorá-los, funcionando como uma espécie de controle de ponto e outras coisas mais…

    É lamentável ver professores, que não sabem nem usar os laptops que receberam da própria secretaria, e a maioria nem se interessa em aprender. Infelizmente, toda essa realidade cabe perfeitamente dentro das palavras do seu artigo.

    Um grande abraço!

    Curtir

  30. Prof. Suintila Says:

    Excelente artigo, caro mestre JC…

    Peço-lhe autorização para citá-lo nas próximas reuniões que eu participar com o pessoal do Núcleo de Tecnologia Educacional daqui de meu estado. A mim me interessou especialmente a questão da escrituração escolar feita “on-site”… mais transparente impossível!

    Abraços,

    Prof. Suintila

    Curtir

    • profjc Says:

      Olá Suintila,

      Como você já sabe, todos os textos podem ser reproduzidos citando-se a fonte (licença Creative Commons 2.5 Alike – Brasil). Mas, acima de tudo, é um prazer receber seus comentários.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: